O PODER DA MÚSICA

Paulo Zifum

“a música […] pode enobrecer ou corromper o caráter” Boécio

        “A música é dotada de um poder moral e qualquer mudança nas formas musicais provoca mudanças no caráter: sendo o Estado o reflexo da alma, essas mudanças também modificariam a sua estrutura política e social” (Platão, República 424c e Leis 700a- 701b; Filodemo, 1.13; Ateneu 628c)

         A ideia acima se relaciona com o poder moral da música. Ela é capaz de representar diferentes qualidades de caráter, virtudes e vícios (cf. Platão, República 398d 403c; Aristides Quintiliano, 80.25-9). A música é como um raio que procura um ponto de aterramento e Platão defendia que gente de natureza ruim se identifica com música da mesma natureza (Republica 400e). Para ele a música desperta a lascívia ou o refinamento. Pode ser usada para educar o caráter. Diz que a música pode destruir uma sociedade subvertendo bons costumes com infiltração de malícias jamais imaginadas para a época. Afirmava que algumas músicas desviam o ouvinte até deixá-lo sem nenhum vestígio de honestidade ou retidão. Mesmo que Platão, do ponto de vista moral para nós cristãos, não era modelo por causa da pederastia, não errou ao descrever o poder da música.

        Faça um teste em suas músicas:

       Pense em 3 de suas músicas favoritas 

  • Veja se 1 fala sobre alguma virtude 
  • Veja se 1 fala sobre alegria sadia ou euforia
  • Veja se 1 é capaz de trazer quietude, segurança ou esperança

       Tire suas conclusões. A música que apreciamos nos reflete.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s