EU SEREI O SEGUNDO

Paulo Zifum

Não tenha medo”, disse ele, “meu pai não porá as mãos em você. Você será rei de Israel, e eu lhe serei o segundo em comando. Até meu pai sabe disso.” 1Sm.23.17

Querer estar em primeiro lugar pode até ser saudável no esporte ou no ambiente da pesquisa científica, mas nos relacionamentos, o desejo de ser mais importante é sempre perigoso. O primeiro sujeito que não quis ser o segundo foi Lúcifer (Ezequiel 28:11-18). Esse negócio de querer o lugar do outro ou preocupar-se para manter o primeiro lugar, leva o ser humano a um expediente muito sinistro envolto de sugestões malignas (tudo isso para traduzir inveja e o medo). O diabo carrega o coração de quem deseja o palco, a coroa, o cargo, o posto, a glória, a riqueza, o poder. Eva foi a primeira a atender a propaganda “não fique em segundo lugar, seja o centro, seja o primeiro”. Depois da mulher, Adão não quis ficar pra trás. E agora, estamos todos nós seus filhos, aqui, nesse mundo, nos engalfinhando, passando mais tempo competindo que ajudando uns aos outros. O individualismo é dispendioso e gasta os recursos do planeta de modo irracional com casas, carros, tecnologias e festas numa exibição tola. O uso coletivo dos recursos e a consciência de que tudo é nosso, parece ausente na bolha de consumo que surgiu no Éden.

O texto mencionado acima trata do nobre discurso do príncipe Jonatas. A disposição de ser o segundo é a orientação espiritual do cristianismo. Jesus ensinou que não devemos procurar os primeiros lugares (Lc.14.10). Mas, podemos até ouvir o sermão, porém na hora de tascar o bife, fazemos como os discípulos que quase “se pegaram” na disputa de quem ficaria com os cargos mais altos do grupo (Lc.9.46). O pai de Jonatas, o rei Saul, se sentiu ameaçado por Davi e começou a perseguir o rapaz. Quando não aceitamos ser o segundo numa rede de relacionamentos, quando não aceitamos a tarefa de servir, mas queremos ser servidos, quando não suportamos o progresso do outro e achamos que o primeiro lugar é nosso, corremos risco. Saul deu lugar ao diabo. E é o Tinhoso  mesmo que fica perturbando o mundo para precipitar a todos no vazio que ele mesmo caiu.

Jonatas nos convida juntamente com João Batista a dizer com coragem: “Eu serei o segundo!”. E olha que, no nosso caso, ser o segundo, já é uma grande aspiração.

Anúncios

SE NÃO FOSSE AQUELA ORAÇÃO, VOCÊ JÁ ERA

Jesus-orando

Paulo Zifum

Quando Jesus estava prestes a ser preso num cerco de conspiração e ódio, revelou a seus discípulos o conteúdo de sua oração (Lc.22). Ele disse que em uma audiência com o Pai (semelhante aquela descrita no capítulo 1 do livro de Jó), pediu para que Deus desse forças aos discípulos, para que sobrevivessem à pressão que Satanás faria nas próximas horas. Jesus revelou que pediu especialmente pelo líder do grupo, sobre quem cairia maior tempestade de opressão. Eu imagino que a oração foi assim:

Pai, peço pelos membros de minha igreja, nesses dias difíceis de perseguição. Eles ficarão abalados quando o pastor deles for preso e caluniado. Serão horas difíceis que não suportarão. Sentirão vergonha por não terem coragem suficiente. Mas peço, principalmente, por esse amado membro que está sempre mostrando muita espiritualidade para os outros. Esse membro é o que ficará mais arrasado porque ele é um modelo de consagração, embora, seja um dos mais frágeis. Pai, ele não sabe o quanto é fraco, mas Satanás conhece a imaturidade desse meu discípulo. Peço para que o proteja, o mantenha emocionalmente equilibrado para encarar a verdade sobre si e o ajude a sair do fracasso. Pai, não deixa que ele se desvie, nem caia no erro de acusar a outros justificando a queda com desculpas de decepção. O sustente para que ele chegue ao arrependimento genuíno, onde Satanás jamais pode derrubar um membro de minha igreja. Pai, não deixe que a fé desse membro desfaleça, mas que ressurja mais forte e madura. Amém.

Já pensou quantas vezes você escapou dos transes sinistros do inimigo por causa da eficaz intercessão de nosso Senhor?