TÔ APRENDENDO

*a escultura acima é do artista Matias Sierra

Paulo Zifum

Qual a primeira coisa que devemos aprender quando nascemos? Chorar! Bom para os pulmões e para outras coisas invisíveis. Depois, aprender a mamar, que é uma técnica milenar. Aí, logo em seguida, a malandragem da comunicação, onde o ser humano faz muita confusão.

Aprender. Passamos a vida precisando de…

Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus. Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus. Todos nós que alcançamos a maturidade devemos ver as coisas dessa forma

O texto acima está na Carta de Filipenses, escrito por entusiasta do ensino e aprendizagem. Paulo era um professor que queria aprender mais e mais, conhecer mais e mais a Cristo (Fp.3.7-16). Ele não tinha medo de dizer “sigam meu exemplo, sejam meus imitadores”. E afirma “ponham em prática tudo o que vocês aprenderam de mim” porque “eu aprendi a viver contente em toda e qualquer situação”,  “tudo posso naquele me fortalece” (cap.4). Esse cara aprendeu mesmo!

Em nossa vida passamos por vários processos de aprendizado, bons e ruins. Aprendemos  a falar, a andar, ler e escrever, a cozinhar, a andar de bicicleta, a dirigir, a cantar e tocar um instrumento. Aprendemos a disfarçar e até mentir (e alguns foram longe nisso). Aprendemos a lidar com a esposa, marido. Aprendemos até a educar filhos adolescentes e a aprender com eles. Aprendemos a sentir raiva e também a deixar as coisas pra lá. A gente se forma, conclui cursos bons e diplomamos em virtudes.

Mas, também desaprendemos, o que é um trágico retrocesso. A gente desaprende sorrir, ajudar, cumprimentar, elogiar, esperar, repartir, respeitar, brincar e apaixonar. É como sofrer um acidente cardio-vascular e perder os movimentos.  Mas, com a ajuda de Deus, podemos reaprender na Fisioterapia da Alma de Mateus 11.28.

O cristão especificamente está matriculado na Escola de 1 Coríntios 13, cuja porta de entrada é uma Cruz, cuja matéria a ser aprendida é Jesus. Paulo gastou sua vida inteira para aprender e ensinar sobre Jesus, pois diz: “decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este, crucificado” (1Co.2.2). Todo aprendizado tem um alvo, toda carreira tem uma meta e o cristão deseja “desenvolver sua salvação“, “conhecendo e prosseguindo em conhecer o Senhor“.

Eu tô aprendendo e reaprendendo!

TOMÉ SEM NOÇÃO

Paulo Zifum

Tomé é um personagem engraçado. Ele aparece algumas vezes na história, e todas as vezes se mostra muito esforçado. A narrativa do Evangelho João capítulo 11 ao falar sobre a morte de Lázaro, destaca a interação dos discípulos. Veja: Depois de dizer isso, prosseguiu dizendo-lhes: “Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou até lá para acordá-lo”.Seus discípulos responderam: “Senhor, se ele dorme, vai melhorar”. Jesus tinha falado de sua morte, mas os seus discípulos pensaram que ele estava falando simplesmente do sono. Então lhes disse claramente: “Lázaro morreu, e para o bem de vocês estou contente por não ter estado lá, para que vocês creiam. Mas, vamos até ele”. Então Tomé, chamado Dídimo, disse aos outros discípulos: “Vamos também para morrermos com ele” (Jo.11.11-16).

O comentário de Tomé é uma “pérola”. Talvez ele estivesse , se esforçando para ser espiritual, querendo demonstrar que tinha aprendido alguma coisa sobre as metáforas da morte coletiva da qual Jesus falava. O fato é que dois mil anos se passaram  e os cristãos continuam associando mal os grandes temas da vida. As pregações modernas minimizam ou maximizam a questão da morte. Ou suprimem totalmente o assunto num discurso tipo “se ele dorme vai melhorar“, ou forçam a Igreja num tipo de santificação sem noção gritando “vamos também para morrermos com ele“. E note que o “ele” não é o Cristo ou por Cristo, mas pela instituição, denominação, pelo projeto e coisas parecidas.

Eu não quero ser um cristão sem noção. Quando o Espírito me convidar para visitar a morte do outro, quero crer que Ele pode me usar para “acordá-lo” segundo Ef.2.1. Quero evitar os rompantes religiosos de sacrifício inútil. Não quero morrer por ideologias pseudo-cristãs, nem me deixar levar por motivações do menino de 1 Co.13. Ainda noto que a maioria dos cristãos tem pouca noção. Infelizmente, se Tomé fosse administrador do grupo “Sem Noção” no Whatsapp, eu pediria para me adicionar.

* Para entender o porquê da foto acima você precisa assistir o desenho Toy Story

O QUE JESUS FEZ SEXTA APÓS 15h

SEXTA À TARDE

Paulo Zifum

O Evangelho afirma que Jesus morreu às 15h (hora nona- Mt.27.45-50). O que ele fez depois desse horário? Os investigadores da Bíblia dizem que nosso Senhor, depois de “beber o cálice” do sacrifício, depois de perdoar seus algozes, depois de salvar o ladrão arrependido, depois de exclamar “está consumado”, ele deixa seu corpo alquebrado e executa sua manobra final de guerra no mundo espiritual. Pelo menos dois textos dão pistas do evento grandioso que se deu antes da ressurreição, a saber: 1Pedro 3.19 e Colossenses 2.15. Jesus vai ao Hades, proclama sua vitória e leva cativo o cativeiro (Ef.4.8-9) num mistério que envolve a sexta à tarde. O poeta Stenio Marcius nos leva a imaginar como foi essa apoteose da sexta da paixão. Vale a pena ouvir o vídeo abaixo. Para mim, Jesus finalizou a obra na sexta à tarde e descansou no sábado, no “Shabat de Deus“, até a hora de ressuscitar naquela linda manhã de domingo. São tantos os mistérios entre o céu e a terra!

POESIA NA PÁSCOA

Paulo Zifum

Pensei em postar algo novo ou algo que já escrevi sobre o Maravilhoso. Mas quem entre nós poderia escrever como Stenio Marcius? Nós metidos a poetas, picorruchos e rústicos? Decidi então postar “Alguém Como Eu“. Stenio tem traços de Agostinho em sua devocão, Tem também uma base Cristocêntrica que deixa os crentes mais crentes. Feliz Páscoa é aquela onde o Cristo, humano e divino, é visto em sua beleza e Stenio nos oferece uma dessas visões