VELHO JOSUÉ

Paulo Zifum

Josué, filho de Num. Assim chamava o condecorado general, primeiro líder militar de Israel. Moisés também liderou uma ofensiva militar, mas a manobra foi totalmente sobrenatural. Josué marchou em terra com soldados humanos. Quando Oséias nasceu (seu nome original) Moisés ainda era príncipe do Egito. Imaginamos que  Josué cresceu ouvindo sobre a fabulosa história de Moisés, o bebê hebreu encontrado no Rio Nilo e criado como filho de Faraó e ainda como esse Moisés matou um egípcio e desapareceu fugido. Pode-se dizer que Josué viveu nos piores tempos de escravidão de seu povo hebreu.Tornou-se proeminente líder de sua tribo antes dos 40 anos. Provavelmente teve pais piedosos que o ensinaram sobre a esperança da profecia dada ao grande líder José dias antes de sua morte. Josué viu Moisés chegar  de volta ao Egito e assistiu juntamente com sua família o poder de Javé derrotando a Faraó. Josué e sua família viram o mar se abrir, comeram a comida que caía do céu (manah) e tantos outros sinais maravilhosos no deserto. Josué se apegou a Moisés e tornou-se seu discípulo. Moisés percebeu que esse varão da tribo de Judá era de fato como um “leão novo” e por isso o colocou para liderar a guerra (Ex.17.9) e cumprir a vocação profetizada por Jacó: “sua mão estará sobre o pescoço dos seus inimigos,; os filhos de seu pai se curvarão diante de você. Judá é como um leão novo, como leão que se assenta, quem tem coragem de acordá-lo?” (Gn.49.8-9). Josué foi um dos 12 espias que lideraram a incursão secreta em Canaã. Foi promovido à substituir Moisés por ordem do próprio Senhor. Foi Moisés que mudou o nome de Oséias (ajuda em Hebraico) para Josué (Deus ajuda).Tornou-se líder espiritual de uma nação de mais de 5 milhões de pessoas. Ele tinha intimidade com Senhor e tomou a terra prometida também de modo sobrenatural, mas sempre com o uso da espada para finalizar a conquista. A guerra era um dos meios que Deus usou para fortalecer aquela segunda geração de homens livres que ainda carregava estigma da escravidão de seus pais. Josué viveu grandes aventuras com Deus.

A famosa resolução de Josué “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” foi pronunciada no fim de sua vida, já bem idoso. Imaginamos ele, velhinho, rodeado com seus netos sendo obrigado a contar aquela incrível história da queda de Jericó e a sensacional resposta de oração que fez o sol parar. Imaginamos esse velho reunindo toda sua família, filhos e filhas, genros e noras, netos, bisnetos e tataranetos para confirma-los no pacto com Deus. Nem todas as “casas” de Israel tinham decidido permanecer firmes no pacto de servir apenas a Deus, por isso Josué convocou um referendo nacional com autoridades, juízes, oficiais e todo o povo para que houvesse um confronto pontual sobre a pureza espiritual da nação (Js.23.1-2). Sábio, percebendo que sua morte se aproximava e que Deus não havia levantado um líder para substituí-lo, Josué faz essa última assembleia solene. Ali ele publica a famosa decisão que, até nos dias de hoje, tem impacto sobre os cristãos do mundo todo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s