ÀS VEZES NÃO É NADA DISSO

Paulo Zifum

Meu pai tinha um pequeno senso de humor, típico de pessoas discretas. Éramos surpreendidos quando a casa ficava em silêncio. De repente, ele saía com essa: “às vezes nem é nada disso”. A gente esperava a explicação do suspense. Porém, ele fazia uma pausa e depois rachava de rir sozinho. Por toda a casa, pequenos risos sem som surgiam, enquanto um silêncio gostoso se estendia. E no fundo, no fundo, eu achava aquilo pura filosofia. O mote ficava na cabeça da gente: “às vezes nem é nada disso”.

Eu passei a aplicar esse “efeito” à minha vida muito séria. Quando sou sequestrado por uma dessas fixações de ideais, quando me vejo idolatrando alguma beleza, quando meus olhos secam de ansiedade ou me sinto ameaçado por uma opinião alheia… eu suspiro e solto essa frase de meu velho pai. Dá um alívio, sabe?

Anúncios

2 comentários sobre “ÀS VEZES NÃO É NADA DISSO

  1. Muito legal! Se em algumas ocasiões nós (eu) pudéssemos sussurrar esta frase…. Acho que o efeito seria muito bom!
    Parabéns! Bela meditação!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s