VASO SEM FLOR

Paulo Zifum

Você ofendeu o meu amor. Amor não se ofende, mas o meu é diferente. É pequeno e doente. Era o pouco que eu lhe tinha. Não que não tenha mais, pois ainda sobrou um resto com o qual faço uma prece. Peço a Deus que não morra, pois pior que um vaso sem flor como o teu, seriam as flores murchas no meu. Como amar e não buscar beleza além? Amar e só querer bem, o vaso, e mais ninguém? Teu vazio entristece o meu amor. Ainda só penso em flores.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s