DURMA UM POUCO, MEU FILHO!

Paulo Zifum

O que você consegue perceber no Salmo 127? Eu o li milhares de vezes e ,só agora, pude ouvir um tom carinhoso escondido nessa poesia. Foi assim:

“Meu filho, você pensa que pode cuidar de tudo, e realmente se esforça. Noto sua preocupação em organizar, calcular e assegurar resultados. Percebo as tensões em manter seus papéis sociais como esposo, pai, filho, irmão, profissional e amigo. Sua saúde, às vezes, ameaça. São muitas variantes externas e internas carregando suas emoções. O que você vai fazer? Levantar de madrugada e dormir tarde? Ficar agitado a ponto de não conseguir comer sem largar o celular? Dorme um pouco, meu filho! Você não pode administrar tudo, nem dar conta de tudo. Se eu não cuidar de você, nada dará certo. Se eu não velar por seus filhos e relacionamentos, suas palavras podem resolver? As emoções podem roubar sua paz. Acredite! Eu estou fazendo coisas no turno da noite que você não pode ver. Basta confiar. Acorde no horário amanhã, trabalhe bastante, mas não precisa se matar. Durma um pouco, agora.” (Salmo 127.1-2: Um Desenho da Doce Voz).

Anúncios

2 comentários sobre “DURMA UM POUCO, MEU FILHO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s