JUÍZO FINAL

Imagem relacionada

Paulo Zifum

Vai tudo aqui findar, menos Jesus. Quando o Juiz chegar, é meu Jesus. Oh! Que alegria em ver, quando o meu Rei descer e a mim, então dizer: “Sou teu Jesus”! Salmos e Hinos nº 385

Tive um sonho sobre o Juízo Final:

Eu me vi no meio de uma multidão. Todos estavam em pé, aguardando o julgamento. Eu me sentia estranho, olhando as pessoas ao redor. As conversas eram discretas e sussurradas e o assunto era apenas um: o que esperar do julgamento. O rosto de todos era tipicamente tenso. 

Percebi pessoas otimistas, pessimistas e muitos com dúvida. Cada um fazia seu autoexame. Um homem comentou ao meu ouvido coisas boas que fez na vida. Falava picado, com visível desespero, empurrando sua memória o mais alto que pudesse. Podia notar a culpa naqueles que olhavam cabisbaixos para o infinito.

Não havia vontade de cantar nem descontrair. Em pouco tempo tinha gente desmaiando. E o clima de dúvida invadia os mais otimistas. Uma mão em meu ombro me fez olhar para trás. Era um conhecido pedindo instruções sobre o que devia dizer no julgamento. Surpreendido e com receio, disse: “diga a verdade”.

Foi nessa hora que me lembrei da grande farsa da vida humana e que grande parte de nossa história foi uma grande bolha de impunidade. Não gostamos da verdade, pensei eu. Nossa vida como raça foi deliberadamente em fuga da realidade e de crença em ilusões. Dificilmente alguém seria capaz de falar a verdade, somente a verdade.

Uma mulher gritou: “não é justo”! Um silêncio pesado se criou. Ela não disse mais nada, porém disse tudo. Talvez o pensamento trouxesse um ânimo. Afinal, durante toda a história fomos juízes do mundo. Nós definimos o que é justo. Então, pronto! Cada um pode fazer seu julgamento de si. De repente, um burburinho surgiu e as pessoas conversavam, agora gesticulando.

A porta principal se abriu e um nome  foi chamado. Era eu. Fui passando entre ombros moles. Meu batimento cardíaco estava descompassado. Alguém me desejou sorte. Havia um clarão adiante. Entrei e, logo depois, acordei.

Depois, demorei em concluir a realidade do sonho. Todos os que não acreditam na vida após a morte, imagino que serão os mais tensos naquele dia. Penso que todos os religiosos farão uma revisão em suas crenças. Suponho que todos os panteístas se sentirão desconfortáveis com a ideia de um tratamento pessoal da existência humana, por não acreditarem num deus pessoal e moral.

Acredito que o dia do Juízo Final será um dia em que o ser humano definitivamente achará inútil todos os recursos materiais e duvidará das crenças que não podem ser sustentadas por um sistema coerente de justiça. Nesse dia, o sonho de que a justiça seja feita e o mal seja punido, será substituído, no caso de muitos, por um desejo desesperado de anistia. O tribunal julgará cada um em particular. A humanidade estará inteira, em pé, na presença de um juiz pessoal.

Desde meus 15 anos, quando fui convidado para ouvir sobre o Evangelho, tenho aprendido que Jesus Cristo veio ao mundo para “buscar e salvar o que havia se perdido”. Acreditei de todo o meu coração que Ele me amou morrendo por mim na Cruz como pagamento antecipado de minha sentença no Juízo Final. Entendi que devo sempre olhar para Ele, como autor e consumador de minha fé. Ele tornou essa esperança real pra mim. Procuro manter um relacionamento pessoal com ele, converso com ele todos os dias e me esforço para compreendê-lo. Ele disse que não posso fazer absolutamente nada que tenha valor no juízo, mas afirmou que, se eu confiar nele, confessar meus pecados e amar meu próximo, Ele me reconhecerá no dia do julgamento.

Agora sonho acordado, pensando no hino acima: “é meu Jesus”. Espero ouvi-lo dizer: “sou teu Jesus”. Não tenho medo de encontrá-lo. Sua graça me enche de confiança e seu amor me faz jogar fora o medo.

Bíblia e Cristianismo: Trata o homem como pessoa criada à imagem e semelhança de Deus, portanto, um ser moral que deve prestar contas de sua vida. Esse é o senso  de realidade defendido pelo Cristianismo como contraproposta de uma mentalidade moderna que relativiza a culpa. O Cristianismo é a única religião que esclarece detalhes sobre esse dia. Para os cristãos, a Trindade comporá a tribuna e Jesus Cristo será o Juiz.

 

Anúncios

3 comentários sobre “JUÍZO FINAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s