VEJA FILMES DE GUERRA

Resultado de imagem para fury filme

Paulo Zifum

Assistir um bom filme de guerra. Todos deviam. Os covardes, todos os dias. Os pedantes, todos. Os que se acham melhores que os outros deviam avaliar se a guerra os aprovaria. A guerra, talvez, mexa demais com a cabeça, os filmes, ajeitam.

Os valores surgem na guerra e os personagens revelam seus ideais. Pelo menos 2 são comuns: vencer  e sobreviver. Quando um lado se sente forte e confiante, vencer é o ideal. Quando há dúvidas, a busca por sobreviver torna-se desesperada.

A vida é retratada nessas obras do cinema. Os conflitos entre ética e maldade, verdade e a injustiça, saltam entre mortos e feridos. Pessoas indefesas se tornam escudo para que alguns poucos cheguem à vitória. E todo filme de guerra que se preza, enquadra a cena quando aliados se estranham. O companheiro aponta uma arma para o amigo, porque a guerra é insana e afirma que, a humanidade morreu.

Assim parece-me minha realidade. Sinto-me numa frente de batalha onde meus valores estão sendo testados todos os dias. Seguro minha língua cheia de munição e abro fogo contra meus inimigos. O ódio parece necessário para viver. Chego a duvidar de meus ideais e estranho meu próximo mais próximo. E choro escondido num canto por perder pessoas queridas que tombam a meu lado sem aviso.

Por fim, todos pecam na guerra, mesmo lutando do lado certo. Os episódios vão testando a resistência do soldado. Cada dia precisa decidir se acredita na causa ou se rebela contra ela. E quase sempre os mais obedientes morrem.

Há algo de tão real na vida que, uma pessoa normal considera que deve lutar para vencer ou sobreviver. Há os que fogem da luta ou negam a realidade, mas a maioria tenta agir como soldado.

Eu acredito que um bom filme de guerra pode ensinar  pessoas boas a terem sobriedade e senso de direção. Os maus gostam de ver sangue, porém, os bons conseguem extrair virtude nas cenas de horror.

Anúncios

2 comentários sobre “VEJA FILMES DE GUERRA

  1. O Apóstolo Paulo, no auge da sua sabedoria, apontava a temperança como uma virtude necessária ao homem cristão. A sobriedade traz consigo uma visão ampliada dos acontecimentos e, ainda, permite ao homem atuar com equilíbrio nas relações em que são exigidas escolhas importantes (decidir entre o bem e o mal – tarefa nada fácil). E é neste momento que podemos ver além das cinzas. É neste instante que compreendemos o valor do sangue derramado. Sejamos sóbrios.

  2. Isaías 6: 8. Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s