SENTIR-SE SEGURO

AUTOESTIMA

Paulo Zifum

Ter boa autoestima: se contentar com seu modo de ser e demonstrar, consequentemente, confiança em seus atos e julgamentos.

É complicado ver uma pessoa saudável, bela e rica em evidente insegurança emocional. Admirável é conviver com pessoas que, mesmo não tendo nada, parecem contentes e seguros.

Segurança é uma de nossas necessidades básicas. Quando Adão e Eva pecaram, descobriram que estavam nus e se esconderam um do outro e depois de Deus. Vergonha era um sentimento que não existia e o medo passou a ser o estado de alerta dos descendentes.

Todos enfrentamos um problema que atordoa: sentir-se inseguro. Podemos ter tudo, mas basta uma ponta de dúvida e, pronto! A alma se inquieta e, mesmo afortunada, não se sente abençoada. Podem dizer que somos amados, mas a insegurança faz uma bagunça lá dentro.

A Bíblia, como um tratado sobre relacionamentos, ilustra o modo como reagimos quando nos sentimos inseguros. Escondemos (Adão), fugimos (Jonas), ameaçamos (Saul) e conspiramos (Davi). Na Parábola dos Talentos, somos gente que se acovarda com a vida, que se encolhe para não arriscar, criando uma aparente prudência que, no fundo, é pura insegurança.  Seja pelo temor do homem (Pv.29.25) ou falta de confiança em Deus,  a sentença é severa para os covardes (Ap.21.8).

Com relacionamentos frequentemente inseguros, somos muito parecidos com Jacó (Gn.27-43). Ele não se sentia abençoado e passou anos e anos de sua vida fazendo esquemas para sentir-se seguro. Sua busca por afirmação, pela afeição de seu pai, seus negócios para conseguir uma esposa, sua constante preocupação com a prosperidade material, sua insegurança com seu irmão de sangue, faziam Jacó ter a sensação de que nunca iria descansar ou relaxar. Tornou-se um homem dramático e negativo diante dos incidentes da vida. Consequentemente, seu lar era inseguro e não conseguia estabilizar seus relacionamentos. Era um guerreiro, mas com pouco pouso de alma.

Como podemos viver com mais segurança? Como podemos conduzir nossos relaciomentos de modo a não precisar dissimular, fugir ou ameaçar?

Bem, a reposta é bem simples: “quando estiver com medo, confiarei em ti. Em Deus, cuja palavra eu louvo, em Deus eu confio, e não temerei. Que poderá fazer-me o simples mortal?” (Sl.56.3-4).

Nossa segurança não deve ser posta nas pessoas: “Maldito é o homem que confia nos homens, que faz da humanidade mortal a sua força, mas cujo coração se afasta do Senhor.” (Jr.17.5). Essa é uma tendência que todos temos e que pode nos custar muito. Davi pagou caro por cair nisso (1Cr.21.1).

Paz encontramos quando a “confiança está no Senhor, cuja confiança nele está. Ele será como uma árvore plantada junto às águas e que estende as suas raízes para o ribeiro. Ela não temerá quando chegar o calor, porque as suas folhas estão sempre verdes; não ficará ansiosa no ano da seca nem deixará de dar fruto” (Jr.17.7-8). Pois se diz: “Não temerá más notícias; seu coração está firme, confiante no Senhor. O seu coração está seguro e nada temerá” (Sl.112.7-8).

Segurança sem Deus é arrogância e um cadafalso perigoso. Autoestima baseada na vaidade é um laço. Empreendimentos que se asseguram como a Torre de Babel, podem surgir de relacionamentos  e convençoes seguras, mas são idólatras tanto no objetivo como nos afetos.

Não há real segurança quando Cristo é colocado à margem, como disse Bonhoeffer: “Ele não é apenas o mediador entre Deus e os homens. Ele é o mediador da relação entre o homem e seu próximo. Ele é que remove a barreira e insegurança e fazendo com que se sintam um.” (Vida em Comunhão).

A pergunta principal da psicologia moderna é: “como vai sua autoestima?”, porém a pergunta cristã é: “como vai sua fé em Deus?”. O Salmo 37* persuade o leitor preocupado e inseguro: “Confie no Senhor e faça o bem; assim você habitará na terra e desfrutará segurança. Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração. Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá: Ele deixará claro como a alvorada que você é justo, e como o sol do meio-dia que você é inocente. Descanse no Senhor e aguarde por ele com paciência”.

O Salmo 91 convida à vida estável e Provérbios 16.7 reafirma “Sendo os caminhos do homem agradáveis aoSENHOR, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele.”.

Sinta-se seguro… em Deus.

*Salmo: o Rei Davi escreveu maior parte dos Salmos cuja marca é tratar dos medos da alma. Davi sentiu-se muito inseguro em sua vida. Foi perseguido, rejeitado, traído e se meteu em diversas confusões.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s