MEDO NENHUM

MEDO NENHUM
Paulo Zifum

CORAGEM

Eu não tenho medo de nada
Só da minha mãe
E de ofender meu pai
Mas de nada mais
Além de engordar
E ficar com uma pança enorme
Mas não tenho medo de nada
Só de ficar amargo
Sem doce nenhum
Mas de nada mais
Exceto da esposa
Quando deixo bagunça
Mas não tenho medo de nada
Só da minha filha
Aparecer com um cara errado
Além disso, nada
Medo nenhum
Só de ficar velho
E rabugento e vagabundo
Mais medo? De nada.
Sou impávido
Exceto com críticas
As verdadeiras me apavoram
Tirando isso, nada mais
Alguma doença, talvez
Algum abandono quem sabe
Algum desejo irracional
Algum fracasso colossal
De ficar nu e exposto
De ficar só num mundo paralelo
Da distorção da realidade
Mas, fora isso, de nada
Posso afirmar, de mais nada
Por isso estou aqui
No alto do monte
Rosto altivo e olhar inimigo
Com medo
De alguém
Além de mim
Saber que tenho

Anúncios