SEXO NO CASAMENTO

Sem título

Paulo Zifum

Como a maioria dos prazeres, o sexo pode ser desfrutado sem o direito. O sexo feito sem o processo de Gênesis 2:23-25 (intenção de unir-se, confissão da vontade seguida da execução pública diante da família com um compromisso definido) é uma violação.

Há quem discorde e acuse os cristãos de serem moralistas. Dizem os liberais que havendo mútuo consentimento não há violação alguma, porém nunca explicam a tradição antiga que diz: “sexo só depois do casamento”. Os liberais defendem novas regras a partir deles mesmos, negam a racionalidade dos costumes antigos como se o que foi estabelecido antes deles deve cair a todo custo. Com sentimentos “à flor da pele”, são como advogados que atingem emocionalmente o juri para dobrá-lo. E normalmente os artistas* andam na vanguarda desse comportamento anti-racional.

Os cristãos, por sua vez, não podem negar que no passado a Igreja praticou um tipo horrível de legalismo ao tratar a sexualidade do ser humano, esmagando gerações inteiras embaixo de repressão e culpa. Mas, o erro da Igreja não justifica o exagero de Freud que reduziu o ser humano a seu desejo sexual. O famoso psicanalista negava a essência religiosa das pessoas. Mas, não foi a religião que adoeceu a humanidade, antes, foi a vontade humana que não quer limites que danou tudo.

Fazer sexo antes do casamento é uma violação contra a lei de Deus e bagunça o mundo inteiro. Os cristãos acreditam nisso, pois consideram que os efeitos do pecado não são tão imediatos e visíveis (1Tm.5.24). Há uma repercussão espiritual em todo sexo praticado fora do casamento, assim como há efeitos danosos em cada infidelidade cometida nos negócios, no trânsito e nas intenções humanas.

Imagine se os pneus estourassem toda vez que alguém ultrapassasse a velocidade permitida na estrada? Seria tão bom que o pecado do sexo fosse freado assim, mas Deus não age dessa forma. Ele permite que roubemos prazeres e deixa que tomemos coisas antes da hora como o pai do Filho Pródigo (Lc.15.11). As consequências podem não chegar na hora, mas nos alcançam, individualmente e coletivamente.

O sexo é para casados. O mundo como o conhecemos seria muito diferente se só isso fosse observado.

*Que os artistas sejam pensadores revolucionários, ninguém pode negar, porém, eles são muito suspeitos por se levantarem (quase sempre) contra a moral vigente acusando-a de retrógrada. Dificilmente agem a favor de tradições. Muitos, sem saber, promovem o discurso “é certo que não morrereis” (Gn.3.4) e encenam dizendo que “não existe pecado”. 

 

Anúncios

SOMOS HISTÓRIA DELE

Resultado de imagem para misterios do mundo

Paulo Zifum

Pois nele vivemos, nos movemos e existimos‘ Atos 17:28

A História já aconteceu toda. Ele escreveu cada detalhe ocorrido pelos séculos, desde a pequena primeira luz que brilhou até o mais cruel dos vilões. Nada poderia ser imposto à história que Ele criou. Tudo foi, é e será um pensamento que Ele teve.

Em um momento consegui sair e pensar nisso. Mas, não poderia surpreender o Autor porque até o mais arguto investigador dos mistérios foi escrito por Ele. Não me importo em ser e viver dentro do roteiro dele. O admiro! Cada lágrima, cada dor! Contorço-me com suas histórias de liberdade e confusão. Encanto-me com as narrativas de perigo e redenção.

Não. Não compreendo-me o caminho que Ele traça para alguns de nós, arrastando anos a fio na escuridão, encerrando homens e mulheres na ignorância. Mas aceito que Ele é o melhor romancista.

Disse a Ele certa vez que o adoro e sou-lhe fiel, muito porque Ele me livra daquilo que temo. A mim, durante minha vida, nada de ruim aconteceu. Sigo cantando estrada afora, com saúde, bela esposa, filhos maravilhosos, bons amigos e realizado no que faço. Não conheço sofrimento até aqui, porque Ele, até agora, não escreveu.

Espero que, se algo horrível foi destinado a mim no futuro, que eu seja um nobre como foi Jó. Ficaria muito feliz de sofrer e não enlouquecer. Seria uma honra ser daqueles personagens que provam que são bons quando o mal destrói tudo quanto amam.

Ó Deus! Esses pensamentos são demais para mim! Voltarei de onde vim, onde os pensamentos são mais turvos. Lá onde a Ciência se acha dona da verdade e onde os homens julgam saber a medida da justiça. Voltarei, porque, aqui, na linha imaginária do tempo, tenho vertigem.

Aceito que sou tua história, ó Senhor! E espero um dia conhecer meus Três Autores.

NÃO QUERO ORAR

 

John Owen

Esta aversão e repugnância frequentemente se mostram nas afeições. Haverá nelas secreto esforço contra a convivência próxima e cordial com Deus, a menos que em sua alma a mão do Senhor aja fortemente.

A alma acha o momento de adoração particular fatigante antes mesmo de começar, e pergunta: “quando vai acabar?”.

 

TIRE A TRAVE

Resultado de imagem para cisco no olho

Paulo Zifum

Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” Mateus 7:5

A hipocrisia é como um “matinho” que dá aqui e ali em todo canto. A gente não planta a danada, ela nasce espontaneamente.

A expressão “tire a trave”  para depois ajudar a “tirar o argueiro” é tão eficaz que não precisa explicar. Nossa imaginação aplica com facilidade à todas as manias que temos de ficar dando conselho, avaliando e julgando os outros.

É feio demais uma pessoa com muitas desqualificações morais, com temperamento indomável e com vaidades secretas, ficar sustentando uma posição de santa, calma e desapegada.

Sei não. Será que Jesus estava dizendo que devemos ver nossos pecados como maiores sempre? Ele quis dizer que a agenda de corrigir o mundo deve começar sempre do maior problema para o menor. Adivinhe quem tem o maior?

 

TOMEI E ME SINTO…

Sem título

Paulo Zifum

Cuidado! As ofertas feitas nos discursos evangélicos por rádio, TV, música ou postagens de encorajamento, podem reduzir o cristianismo a uma muleta psicológica.

As pessoas estão erradas, segundo a Bíblia, estão mal direcionadas e incapazes de identificar qual seu real problema existencial. Eu e você, nem sabemos qual a nossa verdadeira necessidade. Somos pacientes que, a princípio só queremos um remédio que resolva a dor, a guerra e a injustiça.

Hoje tem muita gente cristã pregando que o cristianismo tem remédio para todas as dores de cabeça. E não é mentira que a mensagem cristã seja eficaz, mas quando o discurso promete o Céu omitindo a Cruz, torna-se um placebo.

O discurso evangélico que convida a platéia a pensar em suas necessidades, é aquele que logo mostrará, por “a+b”, como as tentativas fora da igreja fracassaram. Invariavelmente, depois colocar nas mãos do próprio paciente a decisão para melhorar de vida, vem o apelo para aceitar a Jesus.

E qual é o sacrifício que esse paciente deve fazer? Bem! Aí depende do consultório. As prescrições giram em torno de práticas de virtudes, abandono de vícios, participações nas atividades religiosas e outras dicas humanistas.

Isso é ruim? De forma alguma! Nunca é ruim estimular às boas obras e um pouco de fé.

O problema está exatamente no expediente de concordar com a demanda do paciente. Igrejas que atendem a necessidade de “pão, publicidade e poder” deixam sua vocação hospitalar para serem um  tipo de “centro de estética”. Ali, há um orgulho pela capacidade de compreender as pessoas.

Mas, será que há, de fato, uma compreensão?

Bem, se você entrar numa Igreja Protestante Reformada*, não receberá uma “massagem”. Ouvirá com clareza a bondosa oferta divina descrita em Isaías 55, e por esse mesmo texto, saberá que: o que Deus quer não se harmoniza com nossas expectativas. Uma Igreja séria jamais esconde o tamanho do conflito entre Deus e os pecadores.

Imagino que você não quer ir a um hospital e sair de lá com as mãos cheias de “aspirinas”. Então, cuidado! Há uma atmosfera de “amor e encorajamento” muito suspeita por aí!

*Igreja Protestante Reformada:  leia com calma o artigo do link abaixo

http://www.mackenzie.br/fileadmin/Mantenedora/CPAJ/revista/VOLUME_XI__2006__2/Valdeci.pdf

 

MEU CORAÇÃO É ONDE MORO

Sem título

Paulo Zifum

O coração é um lugar. -Você mora no meu coração!

É uma frase bonita, mas a verdade é que moramos mesmo em nosso próprio coração. Embora pessoas nos ofereçam espaço generoso e aconchegante em suas vidas, o estado de nosso coração é que vai determinar nosso bem-estar. Uma pessoa pode ser amada e, mesmo assim, sofrer com conflitos angustiantes. É possível ser rico de bens e saúde e, ainda assim, sofrer de ansiedade. São inúmeros os casos de pessoas de boa família, cercadas de afeto, mas sofrem com um coração magoado.

A metáfora é curiosa. Um lugar para ser agradável precisa ser arejado, aconchegante, e equipado com as coisas básicas para se viver. Deve ser seguro (paredes, teto, janelas e portas). Deve ter alimento que satisfaça. Deve ter sossego.

Algumas pessoas vivem em meio à grandes problemas ao redor, entretanto, parece que estão em paz. Enquanto ao redor o cenário é um horror de pós-guerra, o coração pode estar na shalom de Deus. É o que o apóstolo Paulo chamou de “paz que excede todo entendimento” (Fp.4.7). É um fenômeno experimentado por crianças e adultos, seja por ignorância da realidade ou por confiança na providência divina.

Como está seu coraçãozinho?

Às vezes é preciso encarar que, os desconfortos de nossa vida não são causados pelas pessoas ou circunstâncias, como o behaviorismo explica. Lá dentro, é que as coisas estão bagunçadas, entulhadas e apertadas. O coração pode ser “mobiliado” de modo exagerado ou pode estar vazio. Pode ser um lugar com muita informação intelectual mas pouco calor afetivo.

Onde você mora? Em uma casa ampla, apartamento ou em uma tenda?

O coração pode ser como um chalé sem vedação para o inverno rigoroso. O frio de fora entra com facilidade. Pode ser uma casa sem ventilação, que causa desânimo de tão abafada. Muitas pessoas não sabem proteger-se do gelo de comentários e notícias. Outros, tensos,  potencializam calor das pressões externas. Por isso o sábio diz: “sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida (Pv.4.23)

Acredite! O lugar mais descuidado da humanidade é esse! O lugar mais ignorado tem sido o sítio do coração! Quem dera o principal problema do mundo pudesse ser resolvido por uma escola, por uma prefeitura, pela ação de um governo ou um remédio. Mas, não há nada suficiente ao redor para um coração triste.

E para remover a tristeza, você sabe o bota-fora que deve fazer, mas fica adiando. Sabe que deve dar uma faxina ou uma pintada nesse pobre coração, mas vai empurrando a reforma. Não sabe por onde começar? Não sabe como perdoar e nem pedir perdão? O coração está quase desabando em sua cabeça e você tem perdido a fé no conserto?

A resposta encontra-se em dois convites cordiais feito por Jesus: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas. Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo” (Mt.11:28,29 -Ap.3.20).

Se Jesus entrar em seu coração para ficar, tenha certeza, as coisas vão mudar. Não há lugar onde Ele entre que o mal não saia. Agora, sem Ele, todas as nossas terapias são ineficazes. Sem a Palavra de Deus não há sucesso para tratar o coração, porque só a explicação da Bíblia é capaz de acertar “o ponto” certo que corrige o sofrer do coração (Hb.4.12).

Ouça a doce voz que diz: “filho meu, dá-me o teu coração” (Pv.23.26). Deixe que Deus decida, pois só ele pode arrumar, consertar, restaurar, limpar ou dar um novo coração (Ez.36.26). Ele pode tornar seu coração um bom lugar para se viver.

Se, por um momento, tenha achado essa mensagem muito simplista, repense. Pode ser que o seu coração cheio de ideias tenha perdido a simplicidade. Abra a porta! Deixe que o supremo Design de Interiores entrar!